Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Início do conteúdo da página

Isenção de vistos favorece 40 mil estrangeiros na Olimpíada

Impacto do benefício na economia foi na ordem de US$ 48,5 milhões

Por Gustavo Henrique Braga

Dados do Ministério do Turismo mostram que os quatro países beneficiados com a isenção unilateral de vistos – Estados Unidos, Japão, Austrália e Canadá –enviaram mais de 53 mil turistas ao Brasil entre 28 de julho e 15 de agosto. Desses, 75% se beneficiaram da facilitação para entrada no país de acordo com a Demanda Turística do Ministério do Turismo. O número corresponde a 40 mil visitantes estrangeiros que injetaram US$ 48,5 milhões na economia brasileira. Ainda segundo o estudo, 82,2% dos turistas estrangeiros afirmaram que a dispensa do visto facilitaria o retorno ao país.

Para o ministro interino do Turismo, Alberto Alves, os números comprovam que a estratégia do governo federal foi acertada e que o turismo será um dos principais legados que ficarão para o país. “O mundo se encantou com a hospitalidade do brasileiro e com as belezas dos nossos atrativos. Não por acaso, 87% dos visitantes internacionais declararam ter intenção de voltar ao Brasil”, disse Alves.

De acordo com cálculos do Ministério do Turismo, caso a isenção seja mantida de forma permanente, o impacto na economia nacional alcançará US$ 175,2 milhões ao ano graças ao aumento de 20% no fluxo de visitantes dos quatro países beneficiados.

A isenção de vistos é uma das bandeiras da Organização Mundial do Turismo (OMT) e a decisão do Brasil foi elogiada por representantes do setor. A World Travel & Tourism Concil (WTTC) e a Associação Brasileira de Agências de Viagens (Abav) defenderam publicamente a manutenção da iniciativa após o fim dos jogos.

VISTOS - A medida que isentou a necessidade de vistos para turistas americanos, japoneses, australianos e canadenses, passou a valer em 1º de junho e continuará até 18 de setembro, data do encerramento dos Jogos Paralímpicos. A definição dos quatro países levou em conta fatores como elevado fluxo emissivo ao Brasil, gastos desses visitantes no país e baixo risco migratório e de segurança.

A dispensa foi articulada pelos ministérios do Turismo, da Justiça e das Relações Exteriores. A iniciativa faz parte da estratégia do Ministério do Turismo em incentivar a entrada de visitantes de países que, só em 2015, foram responsáveis pela emissão de 759.087 turistas segundo o Anuário Estatístico do Turismo.


registrado em:
Fim do conteúdo da página